23 de novembro de 2012

FM Instalações no Facebook

Comentários e detalhes dos trabalhos e parceiros da FM Instalações.

Deixe seus comentários e contato.

http://www.facebook.com/pages/FM-Instala%C3%A7%C3%B5es/385702884839410

Ou mande um e-mail: fminstalacoes@hotmail.com


20 de novembro de 2012

ESPECIFICAÇÃO - CALHAS E PERFILADOS

FIOS / CABOS / CALHAS / PERFILADOS

Um aspecto muito importante é a descrição e especificação dos materiais. Comumente há documentos anexos com referencias quanto ao tipo e qualidade do material a ser utilizado.

Em alguns casos os próprios desenhos fornecem as informações necessárias de parte dos materiais envolvidos.

Nesse caso temos não só o tipo de cano a utilizar como também a bitola dos cabos de fase, neutro e terra.

Toda fonte de informação deve ser lida e comparada, nossa equipe já encontrou divergências em desenhos de um mesmo projeto onde o unifilar mostrava uma bitola para o circuito alimentador e no multifilar era indicada uma bitola menor (indicação próxima do disjuntor.

Isso se deu pelo fato de o desenho unifilar ter sido atualizado e não recebi a atualização do multifilar apesar dela existir.


Essa é outra questão importante. A atualização dos projetos deve sempre ser repassada aos gestores de cada equipe, mesmo que por e-mail a princípio. As alterações quando não vislumbradas a tempo da execução provocam um desconforto considerável na equipe e no desenvolvimento das outras tarefas junto a outras equipes.

As características de materiais como eletrocalha , perfilados e eletrodutos são de grande relevância pois representam um valor considerável dentre todos os materiais. Outro grande vilão dos preços são os fios e cabos de cobre.

Referente aos perfilados devem ser utilizados perfilados em chapa 18, sem furos, devidos á adequações recentes em normas de segurança e execução de trabalhos em áreas ocupadas e de circulação. Da mesma forma as eletrocalhas não devem ser perfuradas.

Em Porto Alegre encontramos um fornecedor que é fabricante das calhas, perfilados e suas derivações. Como a obra maior era de 1.000m2, a quantidade de materiais utilizados favoreceu a negociação com este fornecedor.

Dessa forma houve uma economia de aproximadamente 15%.

A quantidade de materiais de fixação e montagem deve ser bem calculada para não parar os trabalhos por falta de derivações e materiais de aperto.

Algumas derivações de eletrocalhas devem ser fabricadas e isso deve ser considerado na hora de especificar os materiais e se for o caso propor a alteração de caminhos e materiais.



A revisão e alteração de lay-out das instalações acontece nesse caso em particular pois trata-se de obras com características diferentes de um hospital ou de uma empresa que comumente tem prazos largos para execução se comparado com as academias.



Entre a locação do imóvel e a inauguração da academia correm de 50 a 70 dias dependendo do tamanho e do tipo de projeto.




Sendo assim nos resta de 30 a 40 dias para execução da parte elétrica pois as outras tarefas desde projeto até o desenvolvimento da civil e montagem de equipamentos consome o restante do prazo.



4 de novembro de 2012

MATERIAL ELÉTRICO

Olá pessoal, desculpem a demora.

Para continuar nossa verificação das etapas referentes á obra, usarei informações de dois trabalhos realizados recentemente em Porto Alegre sendo duas academias uma de 420m2 distribuidas em 3 andares e outra de 1.000m2 distribuidas em 2 andares.

A primeira tarefa a realizar é a análise do projeto e a visita do local. A partir dai é possível elaborar o quantitativo de materiais e deliberar sobre os detalhes que vão surgindo ao longo do desenvolvimento.

As etapas de levantamento de materiais devem ocorrer antes do inicio dos trabalhos com a equipe completa.

De posse dos desenhos de arquitetura e de elétrica é possível começar a planilha de materiais elétricos elaborando a descrição dos principais itens da instalação como: perfilados , eletrocalha , eletroduto galvanizado , derivações diversas , painéis elétricos , infra estrutura para fibra ótica , e por ai vai.

As obras comerciais se diferenciam das residenciais em alguns aspectos, os principais a meu ver são o tipo de materiais utilizados e as características técnicas para interpretação e execução dos trabalhos.

Dessa forma é natural a necessidade de que os profissionais envolvidos sejam mais qualificados e concisos nas suas tarefas.

Sabemos intuitivamente que, com o maior grau de dificuldade técnica há a utilização de mão de obra mais qualificada e consequentemente um aumento no custo em relação ás obras residenciais. São áreas de atuação distintas assim como os trabalhos com automação e alta tensão.


O técnico responsável pela distribuição dos trabalhos para o eletricista e seus ajudantes deve especificar tarefas a serem cumpridas de acordo com a capacidade de cada dupla observando o desempenho dos mesmos no decorrer da obra fazendo as adequações necessárias.

Um fator determinante para o andamento dos trabalhos é contar com uma equipe qualificada e de confiança nos vários aspectos que envolvem os profissionais de uma obra, principalmente assiduidade , comunicação e comportamento.

Nesse tipo de obra as jornadas chegam a 10 ou 12 horas de trabalho num ritmo intenso e cadenciado. Há outras equipes que dependem da finalização de nossas etapas e empurram o cronograma da obra, isso muitas vezes gera conflitos que não devem ser sentidos pelos profissionais sendo antes discutidos e analisados com os responsáveis de cada setor.

Em se tratando de obras dinâmicas é comum haver divergência por exemplo nas informações sobre o sistema de ar condicionado, instalações hidráulica e infra estrutura de elétrica e dados. Em alguns casos o espaço físico é bastante concorrido.

Mas, voltando para nosso projeto.
Junto com o desenho de arquitetura são fornecidos os layout de iluminação e tomadas, assim como os respectivos projetos, juntamente com o dos quadros de disjuntores e painéis necessários para a instalação ( QGBT e QDF ).

A logística dos materiais devem ser consideradas como um fator de risco para execução dos trabalhos, por isso é imprescindível a precisão dos dados e quantidades de materiais observando as características regionais dos fabricantes e fornecedores, visto que por exemplo, um condulet assim conhecido na região de São Paulo é chamado de petrolet em Porto Alegre.

Parece besteira mas o material não chega devido a divergência na especificação isso quando não vem errado.

As tarefas de elaboração da lista de materiais, quando não vem especificadas, e de interpretação e verificação do projeto são realizadas por um técnico. Tais tarefas assim como a maioria delas são realizadas por profissionais contratados por dia, sendo que para o técnico eletricista sua diária aproximada é de R$250,00 além das custas de transporte e refeição diárias.

30 de julho de 2012

DIÁRIO DA OBRA - INFRA ESTRUTURA E INSTALAÇÕES

INSTALAÇÃO COMERCIAL - OBRA - ACADEMIA

Nessa obra foram executadas tarefas de infra estrutura de elétrica e dados (som, CFTV, lógica, telefonia e antena) além das instalações elétricas de uma academia, desde a fase de levantamento de materiais até a instalação dos quadros, lançamento de cabos e fechamentos dos circuitos.


São 30 dias de obra intensa e aplicada ao melhor desempenho da equipe para atender as necessidades do cliente.


Sendo assim o mesmo tem nos confiado a terceira academia em Porto Alegre além de outras intervenções em diversas unidades como em Campinas e São Paulo.


As postagens serão viabilizadas de forma a demostrar a sequência e o andamento da obra.

Minha intenção no entanto é manter as informações relevantes para compreensão das tarefas e rotinas que fazem parte do nosso ambiente de trabalho exigindo boa técnica dos eletricistas e máxima responsabilidade dos ajudantes e colaboradores envolvidos.

Na sequencia serão postados assuntos dando enfase ao tipo de tarefa e tempo de execução das mesmas conforme as características da obra, além é claro de assuntos pertinente ás dúvidas dos leitores.

Conforme surgirem dúvidas ou acharem pertinente o incremento de informações faça um comentário para analisarmos a sua execução.

Até logo.

9 de junho de 2012

TROCA FIAÇÃO DE CHUVEIRO

Nesse atendimento ao cliente as condições de conservação e acesso ao forro da casa facilitaram a execução da troca da fiação que estava derretendo. Se todo trampo fosse assim era mole.


Não da pra notar muito bem na foto, mas o fio que sai da caixinha é de 1,5mm² e estava derretendo a tampinha da caixa além de feder queimado.



No entanto o fio que chega ao disjuntor é preto e de 2,5mm².

Depois de abrir o forro deu pra ver o abençoado do fio 1,5mm² e até onde ele vai.

Foram fixos quatro roldanas nas travessa do forro e esticados dois fios 4,0mm² entre elas.



Na outra extremidade esta conectado o fio 2,5mm² que desce ao quadro de disjuntores.





Após abrir o telhado e retirar a fiação antiga só restou substituir a fiação por um circuito novo além da substituição do borne de porcelana.


O tempo médio para troca da fiação de um chuveiro é de 2:00 horas, nesse caso foram gastos 1:20 horas.

Apesar da casa conter forro de estuque, que sempre é um dificultador na execução de reformas, a caracteristica da infra estrutura bem dimensionada apesar de ser antiga, foi um facilitador e a distancia curta entre o quadro e o chuveiro foi outro fator importante.


Comumente é cobrado entre R$ 80,00 e R$100,00.
Nesse caso custou o equivalente a R$70,00



Esse é um bom exemplo de como é possível programar um atendimento entre outros no mesmo dia e dessa forma baratear o custo tanto de execução como consequentemente da mão de obra a ser cobrada.


Nesse mesmo dia havia feito um atendimento á uma tecelagem que estava com um problema de aquecimento no quadro de distribuição dos disjuntores das resistências das mesas aquecidas. Um trabalho mais complexo e demorado que viabilizou as custas de almoço e transporte.


Essa mensagem é uma edição da mensagem postada em http://eletricista-servicos-comentados.blogspot.com.br/, de minha autoria.

8 de junho de 2012

INTERRUPTOR DE CABECEIRA

Um cliente residencial tinha uma necessidade de instalar os interruptores e tomadas da linha Pial Plus da cabeceira da sua cama. O detalhe é que o furo do tampo era muito grande pra apoiar o suporte e qualquer anteparo que vá por baixo.


Vamos ver como foi.




Como no nicho existente não cabia uma caixinha de gesso (fixo pelas travas) nem tão pouco as caixinhas normais para alvenaria. A unica forma era preencher os espaço que sobrava.



Dessa forma compramos as caixinhas para dry-wall, fita crepe e espuma expansiva. A caixinha foi fixa com auxílio de um espelho velho apoiado no tampo nivelando a mesma. Por baixo foi colocado fita crepe para limitar a expansão da espuma. Para evitar sujar o piso foi colocado um jornal em baixo das caixinhas.




Após algumas horas é só cortar o excesso da espuma e instalar os interruptores e tomadas.
Foram instaladas 6 caixinhas 4x2 de duas cabeceiras.




Foram gastos R$55,00 de material entre caixinhas, espuma expansiva e fita crepe.

Como essas tarefas foram executadas entre outros serviços essa mão de obra foi equivalente á três horas de trabalho (fora a compra dos materiais), aproximadamente R$60,00.





Serviço terminado, cliente satisfeito

On-line

Utilizadores Online